UMA ÉTICA PARA O FUTURO

Costumamos ser um pouco conservadores em termos de programação moral, muitas vezes convencendo-nos de que “antigamente é que era”, e que os dias de hoje são de uma desorientação ética grave e possivelmente o futuro será um caos a esse nível. Mas será mesmo assim? Vejamos o que nos dizem os dados científicos. Consideremos a questão de termos os instrumentos éticos adequados para a vida da civilização atual. Estaremos preparados para viver eticamente estes novos tempos, ou os tempos caracterizam-se por ambientes pouco éticos? Os desafios científicos e tecnológicos apresentam problemas que poderão ser graves sob o ponto de vista ético. Estaremos preparados para eles? O que nos dizem os estudos científicos sobre o «cérebro ético»? Como tomamos nós as decisões morais? Pode a ética experimental ajudar-nos a perceber como funcionamos, de facto, em termos morais? Podemos modificar a nossa «estrutura moral» (se é que existe)? E, uma questão da maior importância: é possível uma educação moral, hoje, com tudo o que sabemos acerca do assunto (se é que sabemos alguma coisa sobre o assunto)?

 

JOSÉ PEDRO MATOS FERNANDES

É Professor Coordenador no Instituto Politécnico de Beja e Diretor da Escola Superior de Educação.

Tem-se dedicado ao estudo e ao ensino da Filosofia da Educação, da Estética e da Ética, áreas em que tem mais publicado. Também tem escrito textos para catálogos de exposições de artistas.

No que concerne ao ensino artístico, de referir a lecionação, ao longo de mais de 25 anos, de disciplinas como “Estética“, “Cultura Visual”, “Educação Artística” em cursos como Educação Visual e Tecnológica, Artes Plásticas e Multimédia ou Artes Decorativas.